Desafios da imprensa cubana

“O diário não falava sobre você…” Canta Joaquín Sabina enquanto leio o jornal Granma. Como quase sempre uma efeméride na manchete de hoje. Uma homenagem a uma figura do passado, um lembrete, a frase que alguém disse faz quarenta ou cinqüenta anos. Todas as páginas têm esse fedor rançoso do jornalismo que não quer se aventurar no presente, que evita o hoje e o agora.

A imprensa oficial cubana não pode se reformular porque se suicidaria. Para informar sobre a realidade nacional teria que renunciar ao seu papel de propaganda ideológica. Não basta que mude o estilo dos seus sítios digitais, acrescente novas assinaturas em suas reportagens ou mantenha as cartas de leitores com denúncias sobre burocratas e corruptos. Deve ir mais além e se despojar dos compromissos políticos adquirindo a verdade com sua única obrigação. Porém isso… Isso sabemos que não pode fazer.

Espero mais da imprensa que está por surgir ou se consolidar do que um “novo jornalismo oficial”. Porém também estou consciente de que o trabalho informativo, precário e ilegal, feito pela sociedade civil deve melhorar. A informação não é trincheira nem arma de ninguém. Os acontecimentos não devem ser narrados a partir do que queremos, mas sim tal como ocorreram.

A variedade temática por sua parte não se mostra de nenhum modo contrária a defesa da liberdade nem dos direitos humanos. Existem muitas formas de dizer e dizer bem. Então devemos procurar modos de informar que nos façam chegar mais aos leitores do pátio*. Criatividade, atrevimento e diversidade de pontos de vista nos ajudariam a sermos melhores profissionais de imprensa. Vale à pena percorrer este caminho.

Da minha parte já estou dando os primeiros passos. A contagem regressiva para esse meio digital, que vem sendo preparado há quatro anos, começou. Um novo desafio profissional se avizinha, porém não será solitário, mas sim acompanhado por uma equipe de pessoas talentosas que querem fazer jornalismo com maiúsculas.

Nas próximas semanas este blog pessoal se transformará – frente aos vossos olhos – num veículo de IMPRENSA. Agradecemos as palavras de ânimo.

Tradução por Humberto Sisley

Anúncios