Proibições

museo_arte_moderno

Qual é a diferença? Os odores e a temperatura penso num primeiro instante. Depois chegam os ruídos tão peculiares de cada lugar, o acinzentado do céu no inverno ou o tom escuro das águas de um rio que atravessa parte da Europa. O que é realmente novo? Continuo me questionando enquanto provo um sabor aqui ou estreito mãos neste lugar pela primeira vez. A música talvez, o som do metrô freando na parada, a neve que se amontoa nos lados da calçada, as flores de primavera que lutam para sair mesmo que lhes espere, talvez, a pior das geadas. Onde se localiza o estranho? Nos campanários das Igrejas que, a cada hora em ponto, parecem competir ou em certas casas que de tão antigas tornam de pouca idade as construções de Havana Velha

.Porém nem na profusão de automóveis modernos, nem no sinal wi-fi que permite a conexão a Internet quase por todos os lados situa-se a verdadeira novidade para mim. Tampouco nos quiosques cheios de jornais, nas prateleiras das lojas repletas de ofertas ou no cão que em meio ao corredor do metrô é tratado como dono e senhor da situação. O raro não é a amabilidade dos funcionários, a quase ausência de filas, as gárgulas de garras e dentes afiados que sobressaem das fachadas ou o vinho que espuma e que se toma mais para aquecer o corpo do que para desfrutar do paladar. Nenhuma dessas sensações de primeira vez ou quase esquecidas por uma década sem viajar são as que fazem a diferença entre a Ilha que agora vejo a distância e os países que visito nesta ocasião.

O principal contraste situa-se no que é ou não é permitido. Desde que desci do primeiro avião estou esperando que briguem comigo, que alguém saia e me advirta “isso não se pode fazer”. Busco com o olhar o segurança que virá me dizer “não é permitido fazer fotos”, o policial de rosto sombrio que gritará para mim “cidadã, identificação”, o funcionário que impedirá minha passagem por algum corredor enquanto sentencia “aqui não é possível entrar”. Porém não encontrei nenhum destes personagens tão comuns em Cuba. De modo que para mim a grande diferença não são os deliciosos pães com semente, a ausente carne bovina que agora regressa ao meu prato ou o som de outra língua nos meus ouvidos. Não. A grande diferença é que não sinto permanentemente sobre mim o sinal vermelho do proscrito, o apito que me surpreende em algo clandestino, a sensação constante de que qualquer coisa que faça ou pense poderia estar proibida.

Tradução e administração do blog em língua portuguesa por Humberto Sisley de Souza Neto

Anúncios

19 thoughts on “Proibições

  1. Observo que a visita da Yoani a Praga, capital da República Checa, ela está sendo muito bem recebida.
    Neste país ela pode dar entrevistas sem medo de ser interrompida, mas o idioma não ajuda, mas isso não foi problema aqui no Brasil, onde pudemos entender o que ela falava.
    .
    A República Checa junto com a Eslováquia foram no passado a Checoslováquia, um país da extinta Cortina de Ferro, um país-satélite dos interesses do patrão do leste, a extinta URSS.
    .
    No passado intelectuais esquerdistas brasileiros visitavam este país e voltavam dizendo que perguntavam a eles, como o Brasil não se permitia a existência do partido comunista no Brasil.
    .
    Hoje eles fazem o contrário, perguntam como permitimos que exista o partido comunista no Brasil.
    .
    O domínio soviético a aquele país deixou mágoas e frustrações.
    Lá o sonho acabou faz tempo.
    Falta que Cuba passe pela mesma etapa final.
    .
    .
    Do twitter da Yoani, uma foto dela. Um exemplo de uma prateleira de produtos da era comunista.
    .
    .
    Un mercado de la etapa del comunismo en el Museo… me parece algo tan conocido! http://instagr.am/p/WcW02vQe59/

  2. .

    344Curtir · · Promover · Compartilhar.

    Gabriela Scognamiglio, Pedro Dueire, Sátyro Sousa e outras 13 pessoas curtiram isso..

    Marcia d’Avila Renault Independente de se conconcordar ou não…quem tem inteligencia argumenta em vez de calar o outro! No minimo falta de educação…

    22 de fevereiro às 11:31 · Curtir (desfazer) · 5..

    Verônica Lopes Nascimento Compartilhando com o Silvio Amorim, Conheço pessoas que sofreram muito em Cuba, Todos tem direito em lutar por liberdade! Nós lutamos! Nós sabemos como é dificil!

    26 de fevereiro às 10:25 · Curtir (desfazer) · 1..

    Colocamos um Outdoor em Recife, na Av. Agamenom Magalhaes externando a posição da quase unanimidade do povo brasileiro, com o seguinte texto: Yoani Sánchez, Desculpe.

    Entrar no Google e colocar palavras chaves – Yoani Sanchez Silvio Amorim –

    AS AGRESSÕES À JORNALISTA CUBANA YANI SÁNCHES, COMETIDAS POR DESCONHECIDOS SEM NENHUMA REPRESENTAÇÃO, DEIXARAM-ME COM MUITA VERGONHA. PORTANTO, QUEM TIVER O MESMO SENTIMENTO, SINTA-SE CONTEMPLADO. REPASSEM E DIVULGUEM PARA QUE ELA SAIBA QUE MILHÕES DE BRASILEIROS APOIAM SUA LUTA EM DEFESA DA DEMOCRACIA E DA LIBERDADE DO SEU POVO.

    Escreva um comentário…
    .

  3. .
    Com o falecimento do Hugo Chavez existem analistas que acreditam que Cuba possa passar por grande aperto econômico e outros analistas que afirmam que Cuba seria pouco atingida, face a diversificação de sua economia, em relação a época do fim da ajuda soviética.
    .
    A maioria dos economista que li e tratam sobre Cuba, consideram que a ilha passa por mudanças.
    De fato, permitir um certo grau de negócios privados já uma grande surpresa, face ao passado de décadas de doutrinação ideológica contra este tipo de atividade econômica.
    .
    Mas quem lá vive pouco percebe o que mudou.
    Não adianta ver novos negócios na capital Havana, se no resto do país tudo está como sempre foi.
    .
    Creio que por algum tempo em Cuba tudo fique como está.

  4. Chavez mal chegou ao inferno e já provocou uma rebelião nas hostes de Lúcifer, tentando implantar o socialismo bolivariano. Como dizia Dante em sua Divina Comédia: Os demagogos que usarem a palavra para enganar o seu povo, arderão nas chamas do inferno.

  5. vai sobrar
    para cuba

    A morte de Hugo Chávez, mais tempo menos tempo, vai sobrar para Cuba, que tem na Venezuela seu maior parceiro. Parceiro é modo de dizer, na verdade o caudilho venezuelano Chávez era o dono dos irmãos ditadores Raúl e Fidel Castro.

    A relação de absoluta dependência da Venezuela se assemelha à que a pobre ilha teve da União Soviética. Só que agora, mais deteriorada, Cuba vai sofrer mais. Dificilmente um novo governo venezuelano, bolivariano que seja, terá a mesma “independência” que tinha Chávez para ajudá-la.

    Os números impressionam. A estimativa é de 3,5 bilhões de dólares anuais de ajuda a Cuba. A medida da troca nas exportações é hilária. Em 2011 a Venezuela exportou 6 bilhões para Cuba e comprou dela 1,7 milhão de dólares – um troquinho.

    Como os irmãos ditadores vão financiar o comunismo mequetrefe em Cuba sem o dinheiro da agora combalida Venezuela? Como ela vai continuar mandando 3,5 bilhões de dólares anuais, agora sem a mão forte de Chávez e, mais que tudo, sem a mesma grana que dispunha, já que a economia venezuelana está em frangalhos?

    Entre 2005 e 2010, Chávez gastou pelo menos US$ 34 bilhões com Havana. “A centralização do poder que Chávez exerceu em seu país faz com que sua morte represente um perigo muito grande para Cuba”, diz o economista Oscar Espinosa Chepe, que foi Partido Comunista Cubano por quase 20 anos, antes de passar para a dissidência. “A ausência da ajuda de Caracas levará a situação social de Cuba a um estado de caos, porque ela é fundamental para a manutenção do comunismo cubano”, aponta o economista.

    E complementa o raciocínio ponderando que “Até a década de 90, ainda tínhamos a indústria açucareira, mas até isso se perdeu. Agora, somos uma economia totalmente parasitária”.

    Para ficar nos exemplos mais conhecidos da ajuda venezuelana a Cuba, há os 115 mil barris diários de petróleo enviados à ilha. Uma parte ínfima dele movimenta a frota veicular, daqueles carrões dos anos 50 e do transporte público, parte dele de ônibus montados em plataformas de caminhões da Segunda Guerra.

    Esse petróleo, entretanto, é fundamental para a pobre ilha. É ele que movimenta as usinas termoelétricas para a produção da energia elétrica. Mesmo com essa ajuda, a geração é insuficiente, com apagões constantes. Há toda uma geração de cubanos que não sabe o que é banho com água quente – nunca tomou um. Se a ajuda do petróleo faltar, voltam os racionamentos mais severos de antes do acordo, quando os cubanos ficavam 16 horas por dia sem luz elétrica, todos os dias.

    A contrapartida para esse petróleo gratuito da Venezuela é o envio de médicos cubanos, algo entre auxiliar de enfermagem e enfermeiro pelos padrões brasileiros, 40 mil deles, para atuar na medicina popular de Hugo Chávez. O grande atrativo para esses profissionais cubanos é que saem de lá ganhando 16 dólares mensais e na Venezuela têm a chance de fugir para os países vizinhos – e até para os EUA, o sonho de todos.

    Tem mais contrapartida cubana. São da ilha comunista os temidos agentes de segurança das autoridades venezuelanas, verdadeiras guardas pretorianas. Atuam também nos serviços de espionagem e inteligência da polícia política de Hugo Chávez. Como resultado dessa promíscua ação de polícia dos dois países, foi assinado um tratado bolchevista, permitindo que a polícia política de um país, investigue, prenda e repatrie cidadãos do outro. Uma barbaridade que só aconteceu nos países da União Soviética e da Cortina de Ferro.

    A propósito desta bestialidade stalinista, foi neste “estilo” que se deu a prisão e repatriamento dos dois pugilistas cubanos fugidos da delegação dos Jogos Panamericanos. Ao arrepio de toda legislação brasileira, a polícia política petista, a mando do então ministro da Justiça Tarso Genro, entregou os dois para os tonton-macoutes cubanos, a bordo de um jato da polícia política venezuelana, mandado por Hugo Chávez. Os dois coitados cubanos declararam que de repente lhes deu uma saudade lôca de Cuba… Foram devolvidos à ditadura, mas conseguiram fugir de novo e hoje lutam nos EUA.

    A ajuda a Cuba vai depender de um governo bolivariano venezuelano às voltas com o país numa pindaíba danada, num cenário político de briga de gatos famintos amarrados num saco. Porque ninguém vai mandar e desmandar na Venezuela como o finado caudilho Hugo Chávez.
    TREM AZUL – 06/03/2013

  6. Neste texto Yoaní, como sempre, é fina e perspicaz. Não são tão importantes as muitas facilidades da Europa, o que importa mesmo é a LIBERDADE! Ninguém para tutelar a gente: pode isso, não pode aquilo… Típico de países de segunda.
    Yoaní, felicidades!
    Fernando

  7. .
    .
    Do twiiter da Yoani.
    .
    .
    yoanisanchez: RT @EugenioTuya: Un poco de humor negro @Fotomaf: Las “protestas” contra @yoanisanchez en la puerta de #iredes http://instagram.com/p/WmUsqxIDTQ/
    .
    .
    Finalmente…, apareceu alguém para protestar contra a Yoani…
    A Yoani foi muito bem recebida em toda a parte que esteve na Europa.
    iRedes é o nome de um evento sobre internet que a Yoani foi convidada a participar na Espanha.

  8. .
    .
    Do twitter da Yoani.
    .
    .

    yoanisanchez: RT @iRedesBurgos: Redes sociales para la libertad. La charla entre @yoanisanchez y @jlori ya en vídeo en http://t.co/iGxarqOGcr http://t
    .
    .
    Uma entrevista de 45 minutos com a Yoani, no evento iRedes, para quem não poder participar devido a ação de um bando de jovens ideologicamente desinformados, talvez orientados pela ditadura cubana.

  9. Fernando, quer ganhar prêmios como a Yoani ?, então como vc ´brasileiro faça o seguinte, critique fervorosamente o governo Dilma, Lula, os mensalões, botando sua cara a tapa, colocando seu cpf, endereço onde mora etc. , lembre um pouco como a Yoani vive, depois, se sobreviver, vem aqui e conta pra gente o que vc ganhou.

  10. .
    O pessoal que ataca a Yoani, faz uso frequente do termo ganhou.
    O que ela ganhou. O que ela recebeu. De onde vem o dinheiro. Quem paga.
    .
    O problema é que fazem décadas que se aguarda ansiosamente que a revolução cubana saia de sua fase inicial e entre em uma fase de resultados socialistas.
    .
    A foice e o martelo símbolo do comunismo, representam os trabalhadores da agricultura e os operário das indústrias.
    O socialismo em Cuba esmagou os agricultores e impediu o nascimento de uma indústria e ainda proíbe o surgimento do setor terciário da economia.
    .
    No final não se vê hoje, o grande socialismo que tanto se apregoava no passado.
    .
    As resenhas, matérias e artigos dos últimos dias sobre Cuba apontam que Raul Castro terá que promover novas mudanças, reformas ou o que seja. Face a desastre da administração de Fidel Castro e não tanto sobre o desaparecimento de Chavez.

  11. ESTO ES LO ULTIMO QUE ESTA CORRIENDO EN INTERNET SOBRE EL PRESIDENTE HUGO RAFEL CHAVEZ FRIAS. EL PRESIDENTE DE LA JUNTA PATRIOTICA SOLICITÓ EL TRASLADO DE UNA COMISIÓN DEL CICPC PARA VERIFICAR LA DATA DE MUERTE DEL PRESIDENTE HUGO CHÁVEZ EN CUBA

    Ciudadana
    Abogada Luisa Ortega Díaz
    FISCALA GENERAL DE LA REPÚBLICA
    Su Despacho.-

    Me dirijo a usted en la oportunidad de presentar formal solicitud de Investigación Penal sobre los siguientes hechos:

    He recibido una comunicación (vía Correo Electrónico), cuyo facsímil adjunto a la presente marcado con la Letra “A”, proveniente de la ciudad de La Habana, capital de la República de Cuba donde se nos informa lo siguiente:

    “Redacción de la Prensa Independiente en Cuba

    El Presidente de Venezuela Hugo Chávez, falleció en esta ciudad el pasado mes de Diciembre y se encuentra embalsamado. El gobierno de Cuba encabezado por Raúl Castro se reunió con el vicepresidente de Venezuela Nicolás Maduro y el Presidente de la Asamblea Nacional Diosdado Cabello donde se presume pactaron ocultar esta grave situación como es la de no informar el fallecimiento del Presidente de Venezuela en el Hospital Cimeq, cuyo plantilla de personal fue sacado del mismo y los mantienen en sus casas en una especie de arresto e incomunicados para evitar la infiltración de información.”

    Por lo anteriormente expuesto solicito a usted, ordene el traslado de una Comisión del Cuerpo de Investigaciones Penales Científicas, Penales y Criminalísticas (CICPC), a la República de Cuba, a los fines de:
    1.- Verificar el fallecimiento del ciudadano HUGO RAFAEL CHÁVEZ FRÍAS.
    2.- Recabar los elementos de convicción referentes a la causa de la muerte de la persona que en vida se llamara HUGO RAFAEL CHÁVEZ FRÍAS, quien ejercía el cargo de Presidente Constitucional de la República.

    Esta solicitud de Investigación Penal se encuentra fundamentada en el Ocultamiento del cadáver de la persona que ostentaba el cargo de Presidente de la República Bolivariana de Venezuela, y siendo que en esta situación han participado el ciudadano Nicolás Maduro Moros, Vicepresidente Ejecutivo de la República y Diosdado Cabello, Presidente de la Asamblea Nacional, podrían los mismos estar incursos en el delito establecido en el artículo 317 del Código Penal vigente, el cual no se encuentra prescrito.

    Es Justicia

    Israel Álvarez de Armas
    Presidente de la Junta Patriótica de
    Cumplimiento de la Constitución http://tl.gd/klrles · 8)

  12. Diogo #15
    1- Não quero ganhar prêmios como a Yoaní. Talvez você queira. 2- Já dei minha cara pra bater. Leia a Veja, seção de cartas. 3- Já enfrentei bala. Duas vezes.
    Alguma outra pergunta?
    Viva Yoaní!
    Viva Cuba Libre!

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s