Antes da Revolução ou durante a Revolução?

Foto de Roberto Segre - Tomada de vitruvius.com.br

O cartaz é pequeno e aparece timidamente sobre o muro da varanda a muitos metros do chão. Um simples “Vende-se” que não chamaria a atenção não fosse pelo motivo que no apartamento ao lado também se pode ler a mesma frase pintada numa janela. Mais acima os vizinhos do sexto andar foram mais criativos e colocaram um pedaço de acrílico onde, inclusive, anunciam-se os metros quadrados que oferecem para motivar os possíveis compradores. Porém os vendedores não encontram facilidade. O edifício é feio, cinzento, daqueles construídos nos anos oitenta sob o sistema de “micro-brigadas”. Muitos que lêem seus classificados em sítios da web – como Revolico.com e Cubisima.com – ao chegarem ao lugar nem sequer batem a porta, pois comprovam que se trata de desses mastodontes de concreto e péssimo gosto arquitetônico construídos durante os anos do subsídio soviético.

A variedade e a quantidade de casas a venda parece superar as reais possibilidades dos bolsos cubanos neste momento. Muitas casas entraram de chofre num mercado imobiliário que esteve mobilizado por décadas e, apesar das necessidades habitacionais, falta o principal: o dinheiro para adquiri-las. Torna-se alucinante ver propriedades vendidas por um quarto ou meio milhão de pesos conversíveis num país onde o salário médio não supera os 20 CUC ao mês. Daí que o maior movimento de compra e venda está se dando nas moradias mais baratas, que são as de menor tamanho, pior localização ou pior estado. Enquanto no setor de residências luxuosas tudo anda mais devagar, mais embaixo, ao nível de um quarto num casarão ou de um apartamento sem janelas, o movimento é bem notável, principalmente por todas essas pessoas do interior do país que estão aproveitando a oportunidade para adquirirem um domicílio em Havana mesmo que seja de poucos metros.

Também é interessante a avaliação pragmática e insuficiente feita por cada imóvel ofertado. Os anúncios se mostram sofisticados, acompanhados por fotos e descrições favoráveis sobre a “boa caída de água” que a casa, possui sua localização magnífica num bairro tranqüilo ou as possibilidades de ampliá-la e construir na laje. Há, porém, um qualificativo que ninguém deixa de dizer caso sua moradia mereça, que é o da “construção capitalista”, se foi edificada antes de 1959. Um divisor de águas claro e implacável divide o fabricado antes da Revolução e o que surgiu durante esta. Se o  edifício aonde está o apartamento é da década de 40 ou 50, seu preço dispara, enquanto que aqueles apartamentos dos micro-brigadistas, que ergueram suas torres pré-fabricadas durante os anos da sovietização, vêem-se relegados a um patamar inferior nas ofertas. O mercado imobiliário faz aflorar – com toda a sua dureza – uma escala de valores que dista muito do discurso oficial e que dá a cada coisa um novo valor, uma referência para medir sua qualidade.

Tradução e administração do blog em língua portuguesa por Humberto Sisley de Souza Neto

Anúncios

7 thoughts on “Antes da Revolução ou durante a Revolução?

  1. .
    Cuba suprime permiso previo de salida para viajar al extranjero
    .
    POR CARLOS BATISTA
    AFP
    .
    LA HABANA — Cuba eliminará a partir del 14 de enero próximo el permiso para salir de la isla, exigido desde los primeros años de la revolución socialista de Fidel Castro en la década del 60, informó este martes la cancillería en La Habana.
    .
    La medida también elimina la necesidad de una carta de invitación para viajar al extranjero y prolonga de once a 24 meses la autorización de estancia en el exterior de los ciudadanos cubanos.
    .
    “El Gobierno cubano, en ejercicio de su soberanía, ha decidido eliminar el procedimiento de solicitud de Permiso de Salida para los viajes al exterior y dejar sin efecto el requisito de la Carta de Invitación”, indicó un comunicado ministerial entregado a la prensa.
    .
    La refoma migratoria fue anunciada hace dos años por el gobernante Raúl Castro, quien en 2006 sustituyó a su hermano enfermo, Fidel, y se realiza en el marco de cambios para “actualizar” el modelo cubano.
    ….
    El comunicado informó que “también se ha dispuesto extender a 24 meses la permanencia en el exterior de los residentes en Cuba que viajen por asuntos particulares, contados a partir de la fecha de salida del país”, que hasta ahora es de once meses.
    .
    Esos once meses, que debían ser prorrogados mes a mes a un costo de unos 50 dólares, es un plazo máximo, tras lo cual se consideraba oficialmente “desertor” al emigrado, que perdía su residencia y derechos ciudadanos.
    .
    “Cuando excedan este término (24 meses) deben obtener, plasmada en el pasaporte, la constancia de la(s) prórroga(s) de estancia correspondiente, otorgada por un consulado cubano”, agregó.

    Los emigrados cubanos deben visitar su país con pasaporte nacional expedido en los consulados cubanos, aun cuando tengan la ciudadanía en el país que residan, y deben tener además un permiso de entrada cuya duración es limitada a 30 días.
    (Continua)
    .
    .
    http://www.elnuevoherald.com/2012/10/16/1323145/cuba-suprime-permiso-previo-de.html
    .
    .
    Os emigrados tem 30 dias de permanecia na ilha.
    Já turistas não devem ter tal restrição.
    Nada como uma sociedade segregacionista.

  2. .
    Hoje (16 de outubro) é um dia bastante importante para os cubanos.
    O anuncio de uma reforma migratória coincidiu com os cinquenta anos da Crise dos Mísseis, que aniversaria agora em outubro.
    .
    Cerca de cinquenta anos atrás, o “rebelde” Fidel Castro desejava lançar mísseis nucleares contra Nova York e Washington.
    .
    A partir de hoje acredito que para muitos cubanos, seja chegada a hora de arrumar as malas e sair do país.
    Talvez venham a diminuir as fugas e assim os cubanos poderão sair do pais.
    .
    Também acredito que Fidel não esteja mais governando o pais, pois pelo contrário esta medida nunca seria adotada.
    É um fato histórico.

  3. Parabéns Cuba e parabéns cubanos.
    Hoje é um dia muito importante para vocês, uma espécie da queda do murro de Berlim. É quase certo que o regime irá procurar não deixar sair Yoani, mas isso é apenas temporário.
    Pela Vossa e nossa liberdade!

  4. Quanto os comunistas vão cobrar para liberar o visto para os cidadãos cubanos? Mais uma tentativa de fazer caixa com o suor do povo oprimido? Fora castros, liberdade à Cuba e aos cubanos.

  5. Cuba continuará sendo uma prisão para a maioria

    17 de outubro de 2012
    Autor: Comunicação Millenium

    Porta-voz da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez, vê na reforma migratória uma tentativa do governo de impressionar a mídia, mas acredita haver poucas chances de saída para dissidentes como a blogueira Yoani Sánchez (especialista do Instituto Millenium).

    Por Lis Miller

    A reforma nas leis de imigração de Cuba foi anunciada pelo governo de Raúl Castro como um avanço em direção à maior liberdade de ir e vir dos cidadãos. No entanto, ativistas da oposição criticam a medida e reiteram não acreditar que a mudança fará, de fato, alguma diferença na vida da maior parte dos cubanos. É a avaliação do porta-voz da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional, Elizardo Sánchez.

    O Globo – Qual é a intenção do governo cubano com essa reforma?
    Creio que o governo de Cuba teve a intenção de impressionar apenas os veículos midiáticos. Cuba continuará sendo uma “ilha-prisão” para a maior parte de seus habitantes. Não creio que o governo vai aceitar a liberdade de circulação dos cidadãos para fora do país. E isso é próprio desse regime: cercear a liberdade de circulação das pessoas.

    O Globo – Essas mudanças não beneficiam aqueles que foram processados ou condenados no país. É uma maneira de continuar monitorando os passos de ativistas?
    Sim. Até que a medida do governo tenha o alcance que deveria ter, o governo vai continuar controlando o direito das pessoas de viajarem livremente. Estamos na mesma situação de antes, especialmente para aqueles que se atrevem a se opor ao regime. E é a mesma situação de antes em relação aos profissionais também. O governo acha que aquela pessoa é sua propriedade e não permite que ela faça nada.

    O Globo – Haverá alguma mudança significativa para a população depois dessa reforma?
    Não. Nós continuamos na mesma. Nós seguimos de acordo com a música. Houve uma mudança, mas os cubanos vêm sofrendo há mais de meio século com a mesma repressão do direito e da liberdade de movimento.

    O Globo – O senhor vê alguma chance de o governo autorizar a saída de algum dissidente?
    É difícil acreditar que o governo vai autorizar que possamos viajar quando vemos o caso de Yoani Sánchez. Ela tentou viajar, o governo negou seu pedido. E há chances de ela tentar sair do país e não conseguir voltar mais.

    O Globo, 17/10/2012

  6. .
    .
    Apesar da matéria abaixo estar no blog do autor, coloco o link do site Diario de Cuba, por me parecer estar mais fácil de ler, o extenso texto de Carlos Alberto Montaner.
    .
    .
    Destaca-se que Fidel é um líder meio “lunático”, por desejar causar ações que venham a repercutir em todo o mudo.
    É interessante para quem pode acompanhar parte de toda esta aventura.
    Naturalmente uma hora tudo vai acabar, pois sua base de acontecimentos se baseia em um governo ditatorial.
    .
    .
    Por qué fracasarán las reformas de Raúl Castro
    .
    .
    http://www.diariodecuba.com/opinion/13557-por-que-fracasaran-las-reformas-de-raul-castro

  7. Infelizmente estamos assistindo o estertor do socialismo cubano, que vai bater as botas junto com o caudilho assassino e visionário. Vai haver um convulsão social por causa da carestia. Algo parecido com o Haiti. As colunas podres que sustentam a farsa do regime castrista vão cair fazendo mais barulho que um terremoto.
    O país não suporta mais tanta incompetência!
    Existe uma frase que poderia ter ajudado o Fidel: “Está em nos mesmo a culpa de sermos inferiores!”

    Ele preferiu culpar os EUA por sua pobreza e por seu subdesenvolvimento!
    Poderia ter procurado desenvolver a tecnologia, indústria, agricultura e o comércio, mas preferiu investir em guerrilhas para exportar sua revolução de merda. Enquanto esperava dividendos dos seus ataques terroristas, em outros países mais pobres que o dele, seu país definhava em todos os sentidos até chegar a pobreza total com seu valoroso povo mendigando migalhas aos soviéticos e depois aos venezuelanos!
    já vai tarde Fidel!
    8)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s