Mais um ano de Blog

gy_5aniversario

Um menino de cinco anos começa a ir a escola, porém um blog dessa mesma idade deu passos mais ousados. Hoje faço um esforço e trato de lembrar a mulher calada e temerosa que fui antes de 9 de abril de 2007 quando criei Geração Y. Contudo, não posso. Perco seu rosto, dilui-se entre todos os momentos bonitos e difíceis que tenho experimentado depois de postar meu primeiro texto na web. Já não consigo me imaginar sem este diário acidentado e pessoal. Tenho a impressão de que sempre, de uma maneira ou outra, estive escrevendo um diário de bordo. Quando a doutrinação e a irracionalidade alcançavam pontos intoleráveis, minha cabecinha infantil glosava a realidade – a margem – de uma forma que nunca houvera podido dizer em voz alta. A adolescente evasiva em que me converti também continuava fazendo o mesmo: narrando seu cotidiano, tratando de explicá-lo e tentando escapar dele.

O certo é que naquela manhã em que saí de casa para colocar na Internet minha página virtual, ninguém poderia imaginar o quanto eu me transformaria com essa ação. Agora, sempre que a apreensão de que a polícia política cubana é “infalível” me assalta, exorcizo esse pensamento dizendo-me que “não sabiam, nesse dia não puderam sequer intuir que criaria este sítio”. O que ocorreu depois já é mais que conhecido: os leitores chegaram, tornaram-se donos deste espaço como um cidadão utiliza uma praça pública; muitos outros que queriam ajuda bateram na minha porta para criar seus próprios espaços de opinião; apareceram os primeiros ataques e surgiram também os reconhecimentos. No caminho se perdeu aquela mãe de 32 anos que só falava de “temas complicados” num sussurro, extraviou-se a trintona compulsiva que sabia apenas debater ou escutar. Este blog tem sido como experimentar, no tempo e espaço de uma só vida, uma infinidade de existências paralelas.

Nunca mais pude voltar a caminhar incógnita na rua. Aquele dom da invisibilidade que alardeava possuir foi para o ralo, entre o abraço de quem me reconhece e os olhos atentos dos que me vigiam. Tenho pagado um preço enorme pessoal e social por estas pequenas cenas da realidade e não obstante voltaria a pegar minha memória flash, iria novamente ao lobby daquele hotel onde joguei para a grande teia de aranha mundial meu post inaugural.

Tradução e administração do blog em língua portuguesa por Humberto Sisley de Souza Neto

Anúncios

29 thoughts on “Mais um ano de Blog

  1. Parabéns pelos 5 anos, e muito obrigado pelo blog, por arejar e trazer luz aos meus poucos e parcos conhecimentos sobre Cuba.
    Eternamente grato.

  2. Mao Tsé Tung, Mensalão e “pizzaiolos”
    Valfrido M. Chaves
    “Desorganizai tudo que existe de bom no país. Tentai envolver as mais altas esferas dirigentes, em empreendimentos criminosos, comprometendo-lhes as posições. Isso feito, conforme a oportunidade, dai publicidade às suas prevaricações. Entrai, igualmente, em contato com os indivíduos mais baixos e perigosos. Molestai, por todos os meios e modos, a ação do governo; promovei discussões e discórdias entre os cidadãos. Lançai os velhos contra os jovens. Perturbai o abastecimento e o aprovisionamento das Forças Armadas” (Mao).

    Não sei se leitor consideraria de bom-tom fazer uma leitura dos fatos atuais da política brasileira, à luz do pensamento de Mao Tsé Tung, exposto no parágrafo anterior. Aí estão os mensalões e mensalinhos que seus protagonistas tentam esconder com tropas de choque, movimentos sociais pelegos, mentiras descaradas, inocências empostadas e teorias conspiratórias. Nestas, tudo se resumiria a um “golpe das elites” contra o “governo popular”… Gostaríamos de chamar a atenção que, quanto mais cretinas forem as mentiras, quanto mais a impunidade for descarada, quanto mais os altos escalões forem enlameados, maior será descrença de todos nas instituições democráticas que, a duras penas e com todas as falhas, tantos brasileiros tentam construir e preservar
    É preciso entender que a descrença nas instituições democráticas, cujas prerrogativas seus inimigos entre nós usam para “suicidá-la”, é a condição necessária para que, assim pensam eles, a massas populares possam ser manipuladas através dos “movimentos sociais” pelegos, alimentados com recursos públicos, para explodirem nos calendários vermelhos que seus líderes, de público, chegam a anunciar.
    As extorsões, o assalto aos cofres públicos, a aliança com o sub-mundo dos negócios, a briga entre quadrilhas no poder, tudo, caro leitor, deve resultar em mais descrença e ataque à autoestima coletiva de nosso povo. Essa é uma prática, um “avanço” que tem toda uma teoria e um princípio a norteá-lo: “os fins justificam as malas e as mentiras”. A impunidade de corruptos e corruptores, que transformaria as CPIs numa fraternidade de “pizzaiolos”, seria uma jóia a coroar a competente “praxis” maoísta em curso.
    Quem viver, verá.

  3. A diferença entre comunismo e socialismo

    Acusar o CAPITALISMO que é o único sistema que gera riqueza e prosperidade é a extrema desfaçatez. A crise é do sistema de exploração denominado socialista ou social-democracia, vulgarmente conhecido como comunismo. Fizeram a ‘festa’ do Estado de bem-estar, sem a correspondente produção; agora chegou a fatura do Estado do mal-estar …
    O próprio Manifesto Comunista – atesta a função verdadeiramente revolucionária do capitalismo, através da burguesia com a expressão: “Tudo o que é sólido se desmancha no ar…” – referindo-se ao modo com que a sociedade capitalista se reformula constantemente, pois sua base econômica se modifica de modo que são varridas do mapa… todas as relações fixas, cristalizadas.
    “A burguesia só pode existir com a condição de revolucionar incessantemente os instrumentos de produção, por conseguinte, as relações de produção e, com isso, todas as relações sociais. A conservação inalterada do antigo modo de produção constituía, pelo contrário, a primeira condição de existência de todas as classes industriais anteriores. Essa subversão contínua da produção, esse abalo constante de todo o sistema social, essa agitação permanente e essa falta de segurança distinguem a época burguesa de todas as precedentes. Dissolvem-se todas as relações sociais antigas e cristalizadas, com o seu cortejo de concepções e de idéias secularmente veneradas, as relações que as substituem tornam-se antiquadas antes mesmo de ossificar-se. Tudo que era sólido e estável se esfuma, tudo o que era sagrado é profanado e os homens são obrigados finalmente a encarar com serenidade suas condições de existência e suas relações recíprocas. Impelida pela necessidade de mercados sempre novos, a burguesia invade todo o globo. Necessita estabelecer-se em toda parte, explorar em toda parte, criar vínculos em toda parte.” (MARX Karl e ENGELS Friedrich, In Manifesto do Partido Comunista – 1848)
    Mas a ‘vitimização’ não é novidade na história da barbárie:
    “Acuse os outros de fazer o que você está fazendo”. Wladmir Illich Ulianov -Lênin, fundador do totalitarismo soviético.
    O testemunho de um ex-militante comunista:
    “É assombroso como funciona a memória dos comunistas. A desmemória, melhor dito. Assombra uma vez mais comprovar que é seletiva a memória dos comunistas. Recordam certas coisas e outras esquecem. Outras expulsam de sua memória. A memória comunista é, na realidade, uma desmemória, não consiste em recordar o passado, mas em censurá-lo. A memória dos dirigentes comunistas funciona pragmaticamente, de acordo com os interesses e os objetivos políticos do momento. Não é uma memória histórica, testemunhal, é uma memória ideológica”. [“Te asombra una vez más cómo funciona la memoria de los comunistas. La desmemoria, mejor dicho. Te asombra una vez más comprobar qué selectiva es la memoria de los comunistas. Se acuerdan de ciertas cosas y otras las olvidan. Otras las expulsan de su memoria. La memoria comunista es, en realidad, una desmemoria, no consiste en recordar el pasado, sino en censurarlo. La memoria de los dirigentes comunistas funciona pragmáticamente, de acuerdo con los intereses y los objetivos políticos del momento. No es una memoria histórica, testimonial, es una memoria ideológica”. Jorge Semprún, denunció hace tres décadas en su «Autobiografía de Federico Sánchez» la memoria sesgada.] JORGE SEMPRÚN (1923-2011, escritor, político español), in Autobiografia de Federico Sanchez
    Para os que ainda têm dúvida sobre o viés totalitário do socialismo/comunismo:
    “Não há diferença entre comunismo e socialismo, exceto na maneira de conseguir o mesmo objetivo final: o comunismo propõe escravizar o homem mediante a força, o socialismo pelo voto. É a mesma diferença que há entre assassinato e suicídio.” (“No hay diferencia entre comunismo y socialismo, excepto en la manera de conseguir el mismo objetivo final: el comunismo propone esclavizar al hombre mediante la fuerza, el socialismo mediante el voto. Es la misma diferencia que hay entre asesinato y suicidio.”) Ayn Rand (1905-1982). Filósofa e novelista norte americana, defensora do Objetivismo.
    Texto: Rivadávia Rosa

  4. A advocacia do mal
    Mara Montezuma

    O ex-ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, quando atuou como advogado de defesa dos responsáveis pela morte do estudante de medicina coreano morto numa piscina durante um trote violento, garantiu a impunidade aos assassinos.
    Foi também o responsável pela permanência no país do italiano quatro vezes assassino, Cesare Battisti, hoje vivendo no Brasil com toda a documentação possível e dentro de “legalidade”.
    Foi ainda o responsável pela liminar que garantiu a soltura do médico tarado e safado, Roger Abdelmassih, que abusava sexualmente de suas pacientes quando ainda estavam sonadas pela anestesia, e que hoje vive no Líbano fora do alcance das leis brasileiras.
    Pois bem, este mesmo ex-ministro Marcio Thomaz Bastos está tentando fracionar o processo de julgamento dos ‘mensaloneiros’, com a óbvia intenção de, pela prescrição do crime, salvar algumas das principais cabeças envolvidas nesse escândalo. E, não bastando isso, tenta pela segunda vez um habeas-corpus para a soltura de Carlinhos Cachoeira da prisão de segurança máxima onde está confinado, buscando assim afagar o “empresário” e tapar sua boca para que não denuncie os baluartes desta republica de fancarias. Seu silêncio deve valer ouro!
    Prestem bem atenção em tudo que discorri atrás…
    Marcio Thomaz Bastos só atuou – e garantiu impunidade – trabalhando a favor de bandidos… Nunca de suas vítimas!
    Esta é sua especialidade.
    Assino o que escrevo, mas confesso que tenho medo…
    Título e Texto: Mara Montezuma Assaf

  5. Parabéns a todos aqueles que de alguma forma torna mais difícil a vida das quadrilhas que exploram o voto dos ignorantes!Tornam mais difícil a vida daqueles que travestidos de éticos metem a mão na grana que deveria ser usada na educação, saúde, segurança, saneamento básico e infraestrutura. Tornam mais difícil a vida dos narco guerrilheiros marxista leninistas ao que traficar cocaína maconha destroem a vida de centenas milhões de inocentes. Tornam mais difícil a vida dos ditadores marxistas leninistas e assassinos que só pensam nos interesses da sua dinastia instalada “no poder” enquanto seus vassalos penam as agruras da falta de comida, de liberdade, saúde e até de papel higiênico!

  6. China: famosa advogada é condenada por “causar distúrbios”
    09 de abril de 2012 • 23h19 • atualizado em 10 de abril de 2012 às 00h50

    ——————————————————————————–

    A militante chinesa Ni Yulan foi condenada a dois anos e oito meses de prisão e seu marido, Dong Jiqin, a dois anos, anunciou nesta terça-feira o porta-voz de um tribunal de Pequim.

    Os dois ativistas eram acusados de prestar assistência legal a vítimas de desapropriações. Ni – que já esteve várias vezes na prisão – e Dong foram considerados culpados de “provocar distúrbios” e “destruir bens públicos e privados”, em um processo sumário realizado em dezembro passado.

    A prisão do casal ocorreu em abril de 2011, quando dezenas de militantes tiveram sua liberdade limitada ou suprimida pelas autoridades, preocupadas com uma eventual propagação da revolta da Primavera Árabe.

    Ni e Dong, que deram ajuda legal a numerosas famílias vítimas de desapropriações na China, começaram a desafiar as autoridades em 2001, quando sua casa em Pequim foi demolida. Segundo a Anistia Internacional, Ni teve os joelhos e os pés quebrados durante sua prisão em 2002, e hoje se movimenta em uma cadeira de rodas.

    Ni, que estudou direito, foi condenada a um ano de prisão em 2002 por “obstrução de assuntos oficiais”, sendo proibida de exercer a advocacia. Em 2008, recebeu mais dois anos de prisão por “danos a propriedade pública”. Com 51 anos e saúde frágil, Ni tem sua situação acompanhada de perto pelas autoridades de Estados

  7. MAIS DO PARAÍSO NORTE COREANO, TÃO AMADO PELOS CANALHAS DO PC DO B E CATERVA:
    Cenário: Cláudia Trevisan

    Os norte-coreanos vivem em um mundo à parte, no qual a informação e a comunicação são rigorosamente controladas e a propaganda oficial entra na vida das pessoas desde a infância e as acompanha até a morte. Ninguém tem acesso à internet, com exceção de alguns poucos privilegiados.

    No lugar da web, os norte-coreanos usam uma intranet, que lhes dá acesso apenas a sites do país. Nesse sistema, não é possível trocar e-mails com o exterior.

    Entre as mentiras, a propaganda sustenta que a ideologia “juche” de Kim Il-sung é conhecida em todo o mundo e a agência de notícias oficial traz frequentes textos sobre congressos e discussões dedicados ao tema em outros países.

    No dia 8, havia um sobre o Centro Brasileiro para Estudo da Ideia Juche, que havia divulgado uma tese sobre os 30 anos do livro Sobre a Ideia Juche de Kim Il-sung.

    Nem mesmo os norte-coreanos, que consideram a “juche” uma das principais heranças de Kim Il-sung, não sabem explicar ao certo o que o termo significa. Kim Won-gyong, guia do museu instalado na casa onde nasceu o líder, traduziu a ideia como “cada um ser dono de seu próprio destino”. Transferida para um país, a ideologia prega a autossuficiência.

    Apesar dos controles, a muralha virtual levantada pelos ditadores norte-coreanos começa a apresentar rachaduras, com o gradual aumento da entrada de informações vindas de fora. Há cada vez mais turistas estrangeiros, enquanto o número de norte-coreanos que vai ao exterior também aumenta. DVDs são pirateados da Coreia do Sul e novelas e filmes chineses aparecem com maior frequência na televisão.

    Ironicamente, a China é uma das principais fontes de informação a respeito de como é o mundo fora da Coreia do Norte. Os chineses não precisam de visto para entrar no país e estão investindo em empresas e no comércio norte-coreano.

  8. Venezuela, Cuba, Honduras e Colômbia continuam na “lista negra” dos Direitos Humanos

    10 Abr, 2012, 08:12

    A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) divulgou na segunda-feira o Relatório Anual de 2011, que contém um capítulo dedicado à Venezuela, Cuba, Honduras e Colômbia, onde há situações que afetam “séria e gravemente” os direitos fundamentais.

    Relativamente a Cuba,”reitera que as restrições aos direitos políticos, de associação, da liberdade de expressão, de difusão do pensamento, a falta de eleições, de independência do poder judicial e as restrições à liberdade de movimento têm conformado durante décadas uma situação de permanente e sistemática vulneração dos direitos humanos dos habitantes de Cuba”.

    Persistem “atos de repressão severa contra mulheres, restrições a defensores dos direitos humanos e práticas que contravêm os direitos das crianças e adolescentes”.

  9. .
    O blog tem sido para ela um pesado fardo. Vejo as reação nos blogs oficialistas, onde a todo o tempo, é acusada de fazer o blog a custa de dinheiro e vejo aqui no Brasil pessoas afirmando o mesmo.
    .
    Sinto a diferença de antigamente se combater ferozmente a ditadura militar brasileira e hoje, apoiar os irmãos Castro depois de promoveram a auxiliarem inúmeras guerrilhas por toda a America central e do sul.
    .
    Os irmãos Castro apoiavam os guerrilheiros e estes no poder em vários países, procuram retribuir a gentileza.
    .
    Pelo menos hoje sabemos que o socialismo leva um país a uma extrema improdutividade.
    Cuba que antes de 1959 exportava café e açúcar, hoje possui simbólicas produção destes produtos.
    Cuba é hoje um país empobrecido e muito dependente da ajuda da Venezuela.
    .
    Cuba vive no passado e o jornal Granma está sempre reinterpretando a crise dos mísseis.
    .
    Acho que ela não deveria se expor tanto. Os irmãos Castro são pessoas idosas que não querem ser incomodados.
    .
    O blog serve para finalmente após décadas, ler o que realmente o que acontece em Cuba, sem ter que ler o relato de visitantes brasileiros a Cuba, simpatizantes daquela ditadura militar, dirigida por dois irmãos fantasiados de militares.

  10. Yoani Sánchez se prepara para fundar una prensa libre en Cuba

    Lizandra Díaz Blanco
    abril 09, 2012
    “Sigo soñando con ayudar a fundar la semilla de una prensa libre en Cuba y cada vez está más cerca el sueño,” dijo la bloguera Yoani Sánchez en ocasión del quinto aniversario de su blog Generación Y, durante una entrevista con martinoticias.com.

    Sánchez reconoció como vitales medios de expresión personal su blog y su cuenta de Twitter, pero adelantó que no quiere quedarse solo en ellos: “tengo otros intereses y otros planes en el campo profesional.”

    “No quiero abandonar el blog, por el momento tengo muchas cosas que contar allí –aclaró la bloguera – pero quiero ampliar horizontes hacia proyectos colectivos que estén más volcados no solamente en la opinión, sino también en la información.”

    “No han faltado momentos a lo largo de estos cinco años en los que me he parado en el camino un poco atemorizada por la magnitud de lo que ha generado mi blog en mí y en otras personas, sin embargo, lo volvería a hacer porque me han pasado cosas muy lindas,” dice la bloguera en su recuento.

    La bloguera agrega que lo mejor que le ha pasado es ver cómo su esfuerzo personal, prácticamente iniciado en solitario en 2007, “terminó por motivar y contagiar a otras personas abrirse un espacio en internet, a tener su propio blog, a emitir su propias opiniones, a veces muy diversas muy diferentes a las mías.”

    La bloguera destaca que lo mejor de su quehacer en este tiempo “es poder asomarse ahora a un portal como Voces Cubanas, aquí esta esa semillita germinada que comenzó con Generación Y.”

    Yoani Sánchez recordó además su rústico espacio digital en sus inicios y los tropiezos tecnológicos que enfrentó.

    “Mi blog ha sido como un referente en un país donde están cortados todos los otros medios de opinión,” advierte Sánchez, quien que se alegra de que “al menos hay un espacio, al menos hay una ciudadana u otros que han logrado encontrar esa plaza pública virtual.”

  11. A MANEIRA DELES DE DISSENTIR É … ACATANDO!

    Segue abaixo um artigo de colunista Ricardo Ronquillo Bello, do diário digital cubano Juventud Rebelde, que dispensa comentários explicativos, pois fala muito claramente por si. Apenas notem que é isto o que a NOSSA IMPRENSA VAI ESCREVER daqui a pouco, uma vez implementados todos os itens de “controle social da mídia”, tal como planejado pelo PNDH-3.

    Nuestra manera de disentir

    Por Ricardo Ronquillo Bello
    3 de Marzo del 2012 23:59:45 CDT

    Algo invita a una seductora conexión entre un editorial de nuestro diario, que salió a la luz el 13 de marzo de 1999, y los 120 años del Periódico Patria y del Partido Revolucionario que le dio origen, que celebraremos este 14 de marzo.
    Este diario fue y será disidente fue el título con el que Juventud Rebelde anunció el regreso a su salida diaria. «Tenemos la obligación moral y patriótica de disentir de quienes se avergüenzan de su pasado, de quienes se venden por 30 monedas verdes, de quienes adoptan la incómoda posición de andar genuflexos para que el aire les bendiga desde el norte; disentimos de quienes no creen en los sueños, de los acomodados y los corruptos», anunciábamos entonces. «Regresamos en rebeldía contra los vagos físicos y mentales, los indolentes y chapuceros, los pesimistas, los derrotados».
    En aquel editorial se postuló también que retornábamos al diarismo no como periódico independiente, sino como una gran dependencia de nuestra historia, de nuestro pueblo, de nuestras tradiciones más genuinas y valederas, de nuestra Revolución.
    El editorial no hizo más que reafirmar a los lectores, en la etapa en que sorteamos el mayor golpe moral al socialismo, lo que ha sido el dilema de los profesionales de la prensa en Cuba.
    Venimos de una tradición periodística y revolucionaria sedimentada por la más honda vocación de servicio, heredada de los fundadores de la nación, entre ellos el padre Félix Varela, quien al abordar la función y el alcance de este ejercicio apuntó que renunciaba al placer de ser aplaudido por la satisfacción de ser útil a la patria. Para José Martí la prensa debía ser el can guardador de la casa patria: «Debe desobedecer los apetitos del bien personal, y atender imparcialmente al bien público».
    Ese legado debería servir también para los acostumbrados a la apología, los silencios y torceduras que nunca faltaron en el complejo camino de la construcción del socialismo, y como soporte para el tipo de prensa que reclaman casi todos los actores sociales, políticos y económicos del país, incluyendo generaciones de periodistas.
    Es inviable que continuemos dando aliento a formas de periodismo de reafirmación que se enquistaron en no pocos de nuestros espacios, y crezcamos hacia otras para confrontar las mejores ideas revolucionarias. También, que transitemos de formas de dependencia a las de independencia institucional, o de autorregulación, como lo han fundamentado los maestros.
    Las maneras periodísticas de reafirmación y de acentuada dependencia institucional ignoraron no pocas veces el abordaje de los errores, haciendo más compleja y costosa la reversibilidad de sus consecuencias.
    No pocos males que hoy arrastra nuestra sociedad permanecen por la distorsión de las funciones de contrapeso y equilibrio de los medios, que ocurrió junto a la de otras estructuras de confrontación democrática del país. El voluntarismo, combinado con la apología y la ausencia de autorregulación institucional, terminaron siendo una lamentable trinidad.
    No es casual que la prensa, que había llegado a su último congreso de la UPEC con una actualización de las orientaciones del Buró Político para su trabajo, se encuentre ante una necesaria transformación, remarcada en los debates recientes de la Conferencia Nacional del Partido y en los que hemos tenido por estos días a instancias de la Unión de Periodistas.
    Se hace inevitable marcar con claridad los espacios institucionales de la prensa, para cerrar el paso al intrusismo y las mediaciones que alteraron sus contenidos y funciones, sobre todo en la Cuba que reevalúa sus estructuras, y en la que el Partido y las instituciones ajustan sus vínculos y conexiones con la sociedad.
    Esto ocurre cuando la Revolución actualiza su modelo económico, como el primer paso hacia graduales modificaciones, sobre las cuales, como ya hacemos no sin dificultades e incomprensiones, nos corresponde la responsabilidad de contribuir a los necesarios consensos políticos y la activación de la vigilancia profesional para evitar que se distorsionen sus alcances y motivaciones.
    No es posible ignorar que la Revolución está a punto de adentrarse en su más dura prueba de fuego: la desaparición de la generación histórica en el liderazgo. También, mientras los medios cubanos perdemos gradual, aunque inexorablemente, el monopolio de las influencias, como resultado del auge de las nuevas tecnologías.
    En este reajuste la prensa cubana debe tener el camino expedito para apoyar el debate cívico y el contragolpe revolucionario. No importa que ladren, Sancho: convicción frente a tergiversación.
    Ricardo Ronquillo Bello é colunista do site cubano Juventud Rebelde
    ronquillo@juventudrebelde.cu
    _______________________________________________________________
    Juventud Rebelde, é um porta voz da ditadura castrista.
    Usando o tradutor do Google dá para ler melhor, para quem dificuldade de leitura da linguá espanhola.

  12. Mãe e filho “socialista”… ao celular.

    – “Vocês” mataram meu pai… buááááá… mataram meu pai… assassinos… “cuspe”.

    Trrrriinnn… “urra la, nasce um esperto, urra la…” trrrrinnnnn

    – Oi mãe! Tá me vendo na TV? Não! Não! Fala pro pai não ficá bravo… Tô ganhando prá isso! Eu sei mãe que tocar em doença e morte na familia, mentindo prá população sem cultura acaba não dando certo e pode ser ruim prá quem faz, mas tenho que defender a “dignidade” da causa socialista com meus “cupanheros”.
    – Há muitos anos tamo fazendo assim e dá dando certo! Você não viu o que fizemos com o FHC?
    Mãe indignada:
    – #*_%¨*(&%¨… Mas FOI ITAMAR, FHC E O PSDB QUE MELHORARAM O BRASIL!!!!
    O… “cara”… “órfão” justifica
    – Eu sei, mãe, sei que foi o ITAMAR, O FHC E O PSDB que estabilizaram a Economia do Brasil. E sempre descemos o cacete neles por isso! Prá nós seria melhor se a Economia estivesse uma “zona”… Sabemos que sem eles e sem a Estabilização da Economia que fizeram (CONTRA NOSSA VONTADE!) o País estaria, talvez, como a Grécia… mas, tenho que defender a “dignidade” da causa socialista com meus “cupanheros”.
    – #(*_&*#%+¨*-#&%¨! Não te ensinamos a ser assim!
    – Também sei disso, mãe, e agora eu entendo porque vocês queriam que eu estudasse… mas não me puniram quando eu mentia… virou rotina, né?
    Ó… preciso desligar, preciso defender a “dignidade” da causa socialista.
    Dá um beijo no pai! Quando acabar aqui vou tomar uma cerveja com ele…!
    Cháu…!
    Voltando…
    – Assassinos… vocês mataram meu pai… buáááá… mataram meu pai… “cuspe”…

  13. “O fato de que uma maioria possa apoiar ou tolerar um ato de roubo não diminui a essência criminal do ato ou a sua grave injustiça.” Murray N. Rothbard

  14. .
    —————-A agonia industrial—————-
    .
    .

    Já abordei o tema várias vezes em artigos e palestras. Abaixo, um resumo do drama da indústria de transformação brasileira, outrora o setor de ponta de nossa economia. Sem o dinamismo no médio e longo prazos desse setor não voltaremos à trilha do desenvolvimento sustentado, com bons empregos. É delirante a ideia de que podemos tornar o Brasil um país desenvolvido com base em exportação de commodities e desindustrialização, voltando à época pré-1930, da economia primário-exportadora.

    Vejam só o quadro adverso:
    – Apesar de gerar apenas 14,6% do PIB (2010), a indústria de transformação é responsável por 33,9% da carga tributária brasileira;

    – 40,3% do preço de um produto industrial são constituídos de tributos;

    – A indústria de transformação tem um “custo de legalidade” que consome 2,6% do seu faturamento (custo administrativo para se manter em dia com o fisco);

    – Os encargos sobre a folha de pagamentos de uma indústria brasileira são 11 pontos percentuais maiores do que a média dos países avaliados (EUA, México, Argentina, Alemanha, França, Coréia do Sul, entre outros);

    – O preço da energia no Brasil é o segundo maior do mundo, com diferença de 108,2% (descontados os tributos) para o do Canadá (que tem matriz energética semelhante à do Brasil);

    – A indústria brasileira tem um custo financeiro 11,5 vezes mais elevado do que uma indústria de países com cálculo de juros semelhante ao do Brasil (Chile, Itália, Japão e Malásia);

    – O Real valorizou-se 49,9% ante o Dólar norte americano no período entre 2006 e 2011, sendo hoje umas das moedas mais apreciadas do mundo. Isso é sinônimo de doença e não de saúde econômica.

    Os números foram extraídos de estudos da Federação das Indústrias de São Paulo e outras fontes. São estimativas razoáveis. E o autor, José Ricardo Roriz Coelho, diretor do Departamento de Competitividade e Tecnologia da FIESP, reconhece que “esses são apenas alguns dos fatores que estão retirando a competitividade interna e externa da indústria brasileira”. Não incluem, por exemplo, os custos do sistema brasileiros de transportes, um dos mais caros do mundo.
    José Serra

    Quando a copa de 2014 acabar os brasileiros vão descobrir que não temos mais indústria. Enquanto os petralhas roubavam pra carai as verbas sem licitação da copa do roubo 2014, nossa indústria ia pra casa do chapéu!

  15. Será mesmo que Tarso Genro estava por acaso na bagunça promovida em frente ao Clube Militar? Vejam o que eu descobri, com foto e tudo! Ou: DAS VERGONHOSAS OMISSÕES DA IMPRENSA

    Aquele senhor sentado na primeira fileira, com a mão no rosto, com ar vetusto, é Tarso Genro (PT), governador do Rio Grande do Sul. O que ela faz ali? Vamos ver.

    No dia 29 do mês passado, um bando de fascistoides cercou o Clube Militar. A turma xingou e agrediu militares da reserva que participavam de um seminário. A foto de um rapaz dando uma cusparada num idoso tem de se tornar um emblema do que esses caras entendem por democracia e civilidade. “Descobriu-se”, vejam que coincidência!, que ninguém menos do que Tarso Genro passava por ali, por acaso… O valente não teve dúvida: “encontrado” por jornalistas, concedeu uma entrevista e acusou de provocação… as vítimas!!! A todos pareceu normal que um governador de estado estivesse passeando, solerte, pelas ruas da capital de um outro estado, topando, de súbito, com um protesto!!!

    Tem mais:
    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/sera-mesmo-que-tarso-genro-estava-por-acaso-na-bagunca-promovida-em-frente-ao-clube-militar-vejam-o-que-eu-descobri-com-foto-e-tudo-ou-das-vergonhosas-omissoes-da-imprensa/

  16. PIMENTEL INVOCA INCONSTITUCIONALIDADE DE LEI DA FLORIDA (EUA) PARA DEFENDER INTERESSES DA ODEBRECHT, EMPREITEIRA AMIGUINHA DO PT.
    Fidel ficou muito contente
    Esta matéria está no site de O Globo e, como vocês poderão notar, é francamente favorável à vagabundagem comunista. Quem escreveu esta matéria bem que poderia redigir os releases do PT.
    O que é mais grotesco é ver um Ministro de Estado, no caso o Fernando Pimentel, invocando a inconstitucionalidade de uma lei de país estrangeiro.
    Ora, se a lei do embargo à Cuba é decisão da esfera federal, o Estado da Florida ao que parece está agindo dentro da lei. Agora, pelo que se vê, Pimentel quer na verdade que o Estado da Florida crie uma lei para beneficiar empresa amiga da turma do PT.
    Sem falar que o MIT já desmentiu o Aloísio Mercadante que havia anunciado a decisão daquele instituto de instalar uma filial no Brasil, o que já foi motivo de gozação.
    Parece que a Dilma, intuindo a sucessão de gafes que iriam rolar, desde a entrega da garrafa de cachaça cravejada com diamantes a Barack Obama, decidiu antecipar o retorno ao Brasil.
    Leiam o que diz a matéria de O Globo, um dos maiores jornais do Brasil e tirem as suas próprias conclusões…:
    O ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, disse ontem que uma mudança na legislação da Flórida que prejudica os interesses da empreiteira Odebrecht foi tema de conversa entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos na segunda-feira, em Washington.
    — Nossa expectativa é que o governo federal dos EUA tome providências, porque a lei é inconstitucional — afirmou Pimentel, que tratou do assunto diretamente com o secretário de Comércio dos EUA, John Bryson.
    A lei, aprovada por ampla maioria na Assembleia Legislativa da Flórida, exclui de concorrências públicas locais empresas que tenham negócios em Cuba. A Odebrecht, que está trabalhando na ampliação do Porto de Mariel e em diversas outras obras na ilha presidida por Raúl Castro, seria eliminada de concorrências.
    A Odebrecht, que está construindo a linha de trem expresso que ligará o aeroporto internacional de Miami ao centro da cidade, participa atualmente da licitação para a construção de um complexo hoteleiro e de escritórios junto ao aeroporto, com valor estimado em US$ 700 milhões.
    Governador da Flórida ainda não sancionou a lei
    Segundo o ministro, a situação é preocupante, embora o governador da Flórida, o republicano Rick Scott, ainda não tenha sancionado a lei, que tem a data de 1 de julho prevista para entrada em vigor. O lobby da comunidade de exilados do regime castrista é muito forte na Flórida, que abriga 1,2 milhão de cubanos-americanos.
    Caso o governador, que ainda não se posicionou, venha a sancionar a lei, ela poderá ser questionada na Justiça. A legislação federal americana impõe embargo comercial à Cuba há mais de 50 anos e impede que empresas americanas tenham negócios na ilha. A nova lei estadual da Flórida, no entanto, feriria o preceito constitucional de que assuntos de política externa são da esfera federal.ALUIZIO AMORIM

  17. Cuba é e sempre foi um fracasso total, em todas as áreas administradas pelos ditadores Castros, hoje para não passar fome, tem que viver de donativos, verdadeiras esmolas de outros países.
    É isso que os petralhas querem para o Brasil, a desindustrialização já começou, estão lutando para acabar com o agronegócio que sustenta as exportações brasileiras. Temos que dar um basta neste monte de energúmenos que governam o Brasil
    ______________________________________________________________________________

    Vietname entrega donativo de 5.000 toneladas de arroz

    Havana, 11 abr (Lusa) — O secretário-geral do Partido Comunista do Vietname, Nguyen Phu Trong, entregou hoje a Cuba uma donativo de 5.000 toneladas de arroz, segundo informou a televisão estatal da ilha.
    O donativo foi dado ao secretário-geral da Central de Trabalhadores de Cuba (CTC, sindicato único), Salvador Valdés Mesa, durante uma cerimónia realizada no porto de Havana.

  18. Instituto Lula

    Por Reinaldo Azevedo

    Tenho algumas perguntas a fazer a Lula, a Kassab e aos vereadores que querem doar patrimônio público para o falso “Memorial da Democracia” do PT. Se houver resposta, juro que publico!

    O Instituto Lula quer construir no Centro de São Paulo, num terreno que fica na antiga Cracolândia, o que chama “Memorial da Democracia”, que reunirá, com especial ênfase, um acervo de documentos e objetos dos oito anos de mandato do Apedeuta. Os petistas agora dizem que pretendem dar atenção também a outros momentos importantes da história, como a luta contra a escravidão, a proclamação da República etc. Para tanto, pediram à Prefeitura de São Paulo a cessão do tal terreno, com o que concordou o prefeito Gilberto Kassab (PSD), que já enviou o pedido à Câmara, onde tem folgada maioria. Então ficamos com o roteiro completo para o triunfo da mistificação: Lula, um ex-presidente bastante popular, pede um terreno ao prefeito; este, que vive uma fase de aproximação com o governo federal, acha a idéia boa e envia a mensagem à Câmara, onde tem maioria. A maioria dos vereadores tende a concordar. Resta ao Ministério Público demonstrar se tem ou não vergonha na cara e memória histórica ou se também está rendido a um partido político. E por que escrevo assim? O escracho já começa no nome do empreendimento. O inspirador do “Instituto Lula” — que quer privatizar uma área de mais de 4 mil metros quadrados, que pertence a todos os moradores de São Paulo — decidiu, como se vê, privatizar também a democracia. Julga-se no papel de quem pode ser o inspirador de uma “memorial”. É uma piada grotesca, típica de asininos enfatuados, de exploradores da boa-fé pública. Se Lula é o senhor de um “Memorial da Democracia”, o que devemos a Ulysses Guimarães, por exemplo? A canonização? Estamos diante de uma pantomima histórica, de uma fraude.

    Tenho algumas perguntas a fazer a Lula, a Kassab e aos vereadores de São Paulo.

    1: Constituição – A negativa dos petistas em participar da sessão homologatória da Constituição de 1988, uma das atitudes mais indignas tomadas até hoje por esse partido, fará parte do “Memorial da Democracia”, ou esse trecho será aspirado da historia, mais ou menos como a ministra da Mulher diz que aspirava úteros na Colômbia?

    2: Expulsões – A expulsão dos três deputados petistas que participaram do Colégio Eleitoral que elegeu Tancredo Neves, pondo fim à ditadura – Airton Soares, José Eudes e Bete Mendes – fará parte do “Memorial da Democracia”, ou isso também será aspirado da história, como a Universidade Federal de Santa Catarina aspirou a entrevista da agora ministra da Mulher? Em tempo: vi dia desses Soares negar na TV Cultura que tivesse sido expulso. Diga o que quiser, agora que fez as pazes com a legenda. Foi expulso, sim!

    3: Governo Itamar – A expulsão de Luíza Erundina do partido porque aceitou ser ministra da Administração do governo Itamar, cuja estabilidade era fundamental par a democracia brasileira, entra no Memorial da Democracia, ou esse fato será eliminado da história junto com os fatos, os fetos, as fotos e os homens que não são do agrado do petismo?

    4: Voto contra o Real – A mobilização do partido contra a aprovação do Plano Real integrará o acervo do Memorial da Democracia, ou os petistas farão de conta que sempre apostaram na estabilidade do país?

    5: Guerra contra as privatizações – As guerras bucéfalas contra as privatizações — o tema anda mais atual do que nunca — e todas as indignidades ditas contra a correta e necessária entrada do capital estrangeiro em setores ditos “estratégicos” merecerá uma leitura isenta, ou o Memorial da Democracia se atreverá a reunir como virtudes todas as imposturas do partido?

    6: Luta contra a reestruturação dos bancos – A guerra insana do petismo contra a reestruturação dos bancos públicos e privados ganhará uma área especial no Memorial da Democracia, ou os petistas farão de conta que aquilo nunca aconteceu? Terão a coragem, já que são quem são, de insistir na mentira e de tratar, de novo, um dos pilares da salvação do país como um malefício, a exemplo do que fizeram no passado?

    7: Ataque à Lei de Responsabilidade Fiscal – Os petistas exporão os documentos que evidenciam que o partido recorreu à Justiça contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, tornada depois cláusula pétrea da gestão de Antônio Palocci no Ministério da Fazenda?

    8: Mensalão – O Memorial da Democracia vai expor, enfim, a conspiração dos vigaristas, que tiveram a desplante de usar dinheiro sujo para tentar criar uma espécie de Congresso paralelo, alimentado por escroques de dentro e de fora do governo? O prédio vai reunir os documentos da movimentação ilegal de dinheiro?

    9: Duda Mendonça na CPI – Haverá no Memorial da Democracia o filme do depoimento de Duda Mendonça na CPI do Mensalão, quando confessou ter recebido numa empresa no exterior o pagamento da campanha eleitoral de Lula em 2002? O museu de Lula terá a coragem de evidenciar que ali estava motivo o bastante para o impeachment do presidente?

    10: Dossiê dos aloprados – O Memorial da Democracia que tanto entusiasma Lula e Kassab trará a foto da montanha de dinheiro flagrada com os ditos aloprados, que tentavam fraudar as eleições — para não variar —, buscando imputar a José Serra um crime que não cometera? Exibirá a foto do assessor de Aloizio Mercadante, que disputava com Serra, carregando a mala preta?

    11: Dossiê da Casa Civil – Esse magnífico Memorial da Democracia trará os documentos sobre o dossiê de indignidades elaborado na Casa Civil contra FHC e contra, pasmem!, Ruth Cardoso, quando a titular da pasta era ninguém menos do que Dilma Rousseff, e sua lugar-tenente, ninguém menos do que Erenice Guerra?

    12: Censura à imprensa – Kassab, que quer doar o terreno, se comprometeria a pedir a Lula que o Memorial da Democracia reunisse as evidências das muitas vezes em que o PT tentou censurar a imprensa, seja tentando criar o Conselho Federal de Jornalismo, seja introduzindo no Plano Nacional de Direitos Humanos mecanismos de censura prévia?

    13: Imprensa comprada e vendida – Teremos a chance de ver os contratos de publicidade do governo e das estatais com pistoleiros disfarçados de jornalistas, que usam o dinheiro público para atacar a imprensa séria e aqueles que o governo considera adversários nos governos dos Estados, no Legislativo e no Judiciário?

    14 – Novo dossiê contra adversário – O Museu da Democracia do Instituto Lula reunirá as evidências todas das novas conspiratas do petismo contra o candidato da oposição em 2010, com a criação de bunker para fazer dossiês com acusações falsas e a quebra do sigilo fiscal de familiares do candidato e de dirigentes tucanos?

    15 – Uso da máquina contra governos de adversários – A mobilização da máquina federal contra o governo de São Paulo em episódios como o da retomada da Cracolândia e da desocupação do Pinheirinho entrará ou não no Memorial da Democracia como ato indigno do governo federal?

    16 – Apoio a ditaduras – O sistemático apoio que os petistas empenham a ditaduras mundo afora estará devidamente retratado no Memorial da Democracia? Veremos Lula a comparar presos de consciência em Cuba a presos comuns no Brasil? Veremos Dilma Rousseff a comparar os dissidentes da ilha a terroristas de Guantánamo?

    Fiz acima perguntas sobre 15 temas. Poderia passar aqui a noite listando as vigarices, imposturas, falcatruas e tentativas de fraudar a democracia protagonizadas por petistas e por governos do PT. As que se lêem são apenas as mais notórias e conhecidas.

    NÃO! ERRAM AQUELES QUE ACHAM QUE QUERO IMPEDIR LULA — E O PT — DE CONTAR A HISTÓRIA COMO LHE DER NA TELHA. QUEM GOSTA DE CENSURA SÃO OS PETISTAS, NÃO EU! O Apedeuta que conte o mundo desde o fim e rivalize,se quiser, com Adão, Noé, Moisés ou o próprio Deus, para citar alguém que ele deve julgar quase à sua altura. MAS NÃO HÁ DE SER COM O NOSSO DINHEIRO.

    Kassab tem o direito de doar uma área pública para aquilo que será, necessariamente, um monumento à versão da história de um só partido, com especial ênfase no trabalho de um líder? Não! Essa conversa de que será uma instituição suprapartidária é mentirosa desde a origem. Supor que Paulo Vannuchi — JUSTAMENTE O RESPONSÁVEL POR AQUELE PLANO SINISTRO QUE DIZIA SER DE DIREITOS HUMANOS E QUE PREVIA CENSURA PRÉVIA — e Paulo Okamotto possam ter qualquer iniciativa que não traga um viés petistas é tolice ou má fé. Ou, então, o prefeito transforme o centro de São Paulo numa espécie de Esplanada dos Partidos. Por que só para Lula?

    Fique de olho, leitor! Se você for petista, deve achar a doação de um terreno a Lula a coisa mais normal do mundo, um presente merecido. Se não for, veja lá o que vai fazer o vereador. Se ele disser “sim” à proposta, estará sendo generoso com o seu dinheiro, com aquilo que lhe pertence.

    Espalhe este texto. Herói é você, que sobrevive no Brasil mesmo com a classe política que aí está, não Lula. Ele é só um contumaz sabotador de governos alheios, que agora pretende, com a ajuda do prefeito e dos vereadores, tomar um terreno que pertence à população de São Paulo para erguer no lugar o Museu das Imposturas. De resto, basta que ele estale os dedos, e haverá empresários em penca dispostos a lhe encher as burras de grana. Que compre o terreno! E Kassab que transforme esse dinheiro em creches.

    Nunca esqueça:

    “Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim”.

  19. Dilma é um exemplo da rígida esquerda anti-americana que está se unindo no mundo em desenvolvimento para se opor ao poder dos EUA. Um dos principais objetivos de sua missão em Washington é obter selo de Obama de aprovação para ambição de Brasília para adquirir um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas . O apoio dos EUA para este regime seria auto-destrutivo, pois o Brasil dos petralhas daria um voto de confiança contra os interesses americanos no mundo. Ms. Rousseff , uma ex-guerrilheiro comunista, é um forte defensor de ditaduras anti-EUA, como os Castros em Cuba e Hugo Chávez na Venezuela . Ela apoiou os esforços dos mulás iranianos para adquirir capacidade nuclear enquanto liderava um clube das nações que pressionavam os EUA para o desarmamento nuclear. Se o planeta está dividido entre aqueles que são para nós e aqueles que são contra nós, a Sra. PresidANTA Dilma está no lado errado.

    Os americanos fariam um belo favor ao Brasil se enclausuram-se a presidANTA na confortável colônia de férias de Guantanamo, onde ela iria se sentir em casa na companhia de seus pares guerrilheiros assassinos!

    EDITORIAL: Obama’s Brazilian model
    http://www.washingtontimes.com

  20. Todos os países que adotaram o socialismo fracassaram, o povo sempre pagou o pato passando fome. A Coreia do Norte não iria fugir a regra, mais um que vive de donativos de esmolas de outros países.
    Enquanto aqui no Brasil, o brasileiro já esta praticamente pagando R$ 5,00 no quilo do feijão, o molusco doou quase 5000 toneladas de feijão aos Norte Coreanos.
    Recurso para promover guerras, eles tem, porque não comem o míssil que sera testado por esses dias, que inclusive pode levar ogivas nucleares. Investir na agricultura os imbecis comunistas não querem, são incapazes de promover o bem estar da população.
    _________________________________________________________________________
    Feijão amigo
    O Brasil precisará de quase 500 caminhões para embarcar 4.600 toneladas de feijão doados pelo ex-presidente Lula ao povo faminto da Coreia do Norte. Se bobear, os bombásticos ditadores terão indigestão.
    Coluna do Claudio Humberto.

  21. O antiamericanismo em marcha

    Diante da possível nomeação da “vestal do sexo livre” para a embaixada do Brasil naquela nação, como circula na internet, os visceralmente contra os americanos berram de felicidade.
    A indigesta dama está amparada no parágrafo único do artigo 41 da Lei 11.440, de 2006 (pelo ano é fácil entender quem sacramentou a boca), que diz, “Excepcionalmente, poderá ser designado para exercer a função de Chefe de Missão Diplomática Permanente brasileiro nato, não pertencente aos quadros do Ministério das Relações Exteriores, maior de 35 (trinta e cinco) anos, de reconhecido mérito e com relevantes serviços prestados ao país.”
    Podemos acrescentar e, “ao PT”, para não atrapalhar a escolha do Haddad à prefeitura de São Paulo, pelo “mais ELE”.
    O subterfúgio é usado, muitas vezes, para colocar políticos que perderam eleições, sem nenhuma ligação com o Itamaraty e com pouca vocação diplomática, para assumir embaixadas.
    Quanto a nós, menos lascivos, choramos de tristeza e rimos de alegria.
    Lastimamos os pobres ianques que dormirão com o inimigo. Quem manda ser democrata. Receberão na proa, na popa, e por todos os lados os virulentos ataques da “dama da sacanagem institucionalizada”.
    Escudada na imunidade parlamentar, é inimaginável o que a desabrida e inconveniente aprontará.
    Por outro lado, rimos, por antevermos como serão alvissareiros os próximos meses sem a incômoda e inconveniente criatura nestas plagas.
    A musa dos LGTS irá saracotear e infernizar ao norte do Rio Grande; ainda bem, pois infernizando por aqui, logo teríamos que enfrentar a cota dos amantes do sexo desabrido em todas as oportunidades de vida. Nas universidades, nos empregos públicos, nas filas do INSS.
    A sua indigesta nomeação dá uma pálida ideia do que se passa na cabeça de nossos governantes, pois, mesmo com reconhecidas dificuldades de toda ordem, em especial econômicas, os EUA ainda são uma potência de respeito.
    Assim, se outrora ocupar um cargo distinto como embaixador nos EUA significava sinal de excelência, pelo crivo que selecionava o novel representante, ao designarem a loquaz embaixadora, impossível não lamentar o retrocesso.
    Poderiam premiá-la com a embaixada no Irã, na Síria, no Iraque, na Jordânia, na Líbia, no Afeganistão, em Antigua e Barbuda, no Azerbaijão, na Eslovênia, no Congo e no Sri Lanka, mas graças a sua desistência à prefeitura de São Paulo, qualificaram-na para perturbar o escroto dos americanos.
    Bela escolha aplaudiu o seu amigo Chávez. É a vingança do Brasil pelo embargo econômico, saudou Fidel.
    A “majestade metamórfica”, até 2009, criou no seu desgoverno 35 novas embaixadas em países e rincões inimagináveis, em qualquer deles, a nova embaixadora escreveria com M maiúsculo os seus desvios. Mas qual, porcaria pouca é bobagem.
    “A nossa líder” já é famosa por sua capacidade de escolher a mulher ou os arremedos, no lugar errado, na hora inconveniente. Por isso, e as pesquisas (?) não nos deixam mentir está lá nos picos.
    Ainda veremos outras e muitas coisas de arrepiar. Os militares já estão vendo, mas aguarde, a sua vez chegará.
    Texto: Gen. Bda Rfm Valmir Fonseca Azevedo Pereira, Brasília, DF, 09 de Abril de 2012

  22. Medicamento proibido – U R G E N T E – RISCO DE MORTE
    Por favor, divulguem.

    Ministério da Saúde através da Agência Nacional
    de Vigilância Sanitária, suspendeu por meio da
    Resolução 96, a fabricação, distribuição, manipulação,
    comercialização e armazenagem de medicamentos com o
    principio ativo denominado FENILPROPALAMINA.

    A medida foi tomada depois que a ‘Food and Drug
    Administration’, (FDA), dos Estados Unidos, constatou
    que a substância vinha provocando adversos FATAIS em
    usuários americanos (hemorragia cerebral). No Brasil
    a suspensão é preventiva, uma vez que não existem
    casos relatados.

    A FENILPROPALAMINA está presente em 21
    medicamentos, especialmente nos anti-gripais. Os
    medicamentos suspensos são os seguintes:

    1)Bernadryl dia e noite..

    2) Contac

    3) Naldecon Bristol

    4) Acolde

    5) Rinarin Expectorante

    6) Deltap

    7)! Desfenil

    8 HCl de fenilpropalamina

    9) Naldex

    10) Nasaliv

    11) Decongex Plus

    12) Sanagripe

    13)Descon

    14) Descon AP

    15) Descon Expectorante

    16) Dimetapp

    17) Dimetapp Expectorante

    18) Ceracol Plus

    19) Ornatrol

    20) Rhinex AP

    21)Contilen

    Solicito, pois, a todos que estejam utilizando
    qualquer medicamento da lista acima, que suspendam a
    medicação e procurem o seu médico para maiores detalhes.

    Atenciosamente,
    MAURICI ARAGÃO TAVARES
    Médico do Trabalho
    CRM.SP.33006

    POR FAVOR REPASSEM 8)

  23. For Cuban Dissidents, an Open Phone Line
    Prepaid Cellphones Let Bloggers Post and Tweet in Privacy, as Foreign Supporters Add Minutes to Their Accounts

    HAVANA—Cuban blogger Yoani Sánchez became famous for sneaking into state-run Internet cafes to upload posts to her blog, which the Cuban government says is subversive. Part of that process is now a lot simpler: She uploads tweets from an iPhone at home.

    Mobile phones, once banned from Cubans’ hands, are changing the face and pace of the Cuban dissident movement. They were made legal by President Raúl Castro in 2008, though at first, high costs made it difficult for most Cubans to make calls on the island, let alone send data internationally.

    But in the past year, Cuba’s government has signed deals with several companies that allow foreigners to add minutes to prepaid Cuban cellphone accounts from abroad.

    The measure was aimed at making it easier for outsiders to send money to the cash-strapped island. But contributions from foreign supporters also have been helping dissidents ramp up their flow of messages to the outside world, mostly through Twitter feeds updated via text messages.

    “If Raúl had known what a Pandora’s box he was opening with this, he would have never allowed a Cuban to own a cellphone to begin with,” Ms. Sánchez said on a recent day from her apartment in the capital. As she spoke, she posted a message with news about Jeovany Vega, a dissident doctor she had received a tip about: “#cuba They’ve just admitted into Artemisa Hospital the medic who was on hunger strike @DrJVega.” (Dr. Vega ended his hunger strike on April 1.)

    Cuban dissidents are some of the few independent political voices in a state where the Communist Party remains the sole legal political group. They span the spectrum from underground journalists like Ms. Sánchez to lawyers running secret libraries.

    One recent day before Pope Benedict XVI’s visit to Cuba last month, dissident José Daniel Ferrer was glued to his cellphone, taking calls and messages to tally detentions of activists ahead of the papal visit. He posted the tally on his Twitter account, which has around 2,000 followers. His estimates were soon picked up by foreign news organizations and human-rights groups covering the crackdown.

    Mr. Ferrer says he doesn’t usually know who is adding minutes to his phone because the donations are made online, by unidentified supporters. “Without them, the cost would be prohibitive for me to tweet,” he says.

    Mr. Ferrer can send out posts by text message—but still has no regular access to the Internet to read them. But his posts circulate abroad, mainly among Cuban exile groups in Miami.

    There are consequences for being outspoken. Mr. Ferrer’s cellphone was shut down during the pope’s visit and he was arrested by government authorities on April 2, according to a woman who answered his cellphone last week, and who identified herself as a friend of Mr. Ferrer. Since then, the line appears to have been disconnected.

    A Cuban government spokesman didn’t respond to questions about Mr. Ferrer’s whereabouts.

    Another government spokesman said there is freedom of expression in Cuba.

    Internet access in Cuba is controlled by the government, which decides who can plug in. Only about 450,000 Cubans, or 4% of the population, go online, according to official statistics. The cost also is prohibitive for most Cubans—$6 for 30 minutes of Internet access in a country where the average person makes about $20 a month.

    However, the number of cellphone users passed more than a million last year and is growing fast. Like Internet access, the cost of sending mobile messages remains high—about $1 for text messages sent internationally and $2.30 for short videos or pictures.

    Several foreign companies have partnered with Cubacel, Cuba’s state-owned mobile phone monopoly, to allow minutes to be added from abroad to Cuban cellphone accounts.

    Ezetop Ltd., a Dublin-based company that works with around 200 cellphone operators in emerging markets, says Cuba became its biggest business last year. Chief Executive Mark Roden says $20 million was sent to Cuban cellphones from abroad last year via Ezetop, about 10% of its total business.

    Ezetop operates with a U.S. Treasury Department license and isn’t subject to the U.S. economic embargo on Cuba. “We’re interested in remittances from the developed world to emerging markets and cellphones are a big part of that,” says Mr. Roden.

    Others see a different opportunity. Diani Barreto, a Cuban-American human-rights activist based in Germany, recently partnered with Web activist group Telecomix to channel money to Cuban dissident cellphones using Ezetop and other services. A website posts dissidents’ names and phone numbers and invites visitors to add minutes anonymously to cellphone accounts. The system “allows dissidents to get out information in real time,” Ms. Barreto says.

    Mobile phones also have caught the attention of the U.S. government as it tries to pressure Raúl Castro and his brother and predecessor Fidel by supporting Cuban opposition groups. Drew Bailey, a spokesman for the U.S. Agency for International Development, said the agency had “supported similar efforts in the past” to add minutes to political activists’ cellphone accounts. The agency declined to comment on its continuing activities, citing concerns about dissidents’ safety.

    Write to Nicholas Casey at nicholas.casey@wsj.com
    .
    http://online.wsj.com/article/SB10001424052702304587704577333980517198896.html

    8)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s