Unanimidade

andamio

Pigarreou antes de explicar porque estavam reunidos ali, no sóbrio teatro apenas usado para isso. Levava em suas mãos, como pauta, as diretrizes do VI congresso do Partido Comunista e atrás dele a mesa da presidência incluía funcionários municipais e provinciais. Antes de dar a palavra a alguém ressaltou que deveriam se ater aos escritos daquelas páginas e só seriam discutidos temas econômicos. Soletrou esta última palavra com ênfase para que não fossem exigir seu direito à “livre associação” ou reivindicar que lhes permitissem “entrar e sair livremente do país”. E-CO-NÔ-MI-COS voltou a silabar, abrindo os olhos e levantando as sobrancelhas com ênfase, enquanto olhava os empregados mais litigantes.

Com tal introdução a reunião se converteu num trâmite aborrecido, numa tarefa incorporada a jornada de trabalho. Mecanicamente dezenas de braços foram levantados ante a pergunta de se estavam de acordo com cada ponto. Silêncio incômodo depois das frases: “Quem está contra?” e alguma fadiga ao se escutar: “Quem se abstém?”. Só um jovem questionou a proibição vigente no país de se comprar automóveis e casas, mas imediatamente um militante tomou a palavra para ler um longo elogio à figura do Líder Máximo. Assim, sempre que alguém apontava um problema aparecia outro ressaltando as conquistas do processo. Os apologistas estavam situados em pontos eqüidistantes dentro do auditório e reagiam como de acordo com um roteiro estudado ou numa coreografia ensaiada. A sensação de estar numa assembléia preparada competia em intensidade com o desejo de ir – o quanto antes – para casa.

No outro dia o centro de trabalho havia retornado a sua rotina. Um mecânico que esteve sentado muito perto da presidência não recordava nem uma só diretriz. A garota do armazém resumiu para suas amigas as discussões da tarde anterior com um simples “Ah… o mesmo de sempre” e o chofer do administrador encolheu os ombros, cético, quando um colega lhe perguntou pelo acontecido. Muitos haviam vivido aquela jornada como a antecipação do que acontecerá dentro do Palácio das Convenções em abril próximo, um avanço em pequena escala do congresso do PCC cubano. Só que em poucos meses o verão na tela da televisão, porém, desta vez, terão sido eles que levantaram a mão, os que votaram unanimemente sob o olhar severo do diretor.

Traduzido por Humberto Sisley de Souza Neto

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s