O país das sombras longas

Há dois homens na esquina. Um usa fone de ouvido enquanto o outro olha para a porta do edifício. Todos os vizinhos sabem muito bem porque estão ali. Num dos andares vive um dissidente e os dois membros da polícia política observam quem entra e sai do lugar; conservam o automóvel por perto para segui-lo aonde quer que vá. Não tentam se esconder, pois querem fazer notar que esse sujeito de opiniões críticas é fichado, de modo que os amigos se afastem para não terminarem caindo eles também nas redes do controle, na teia de aranha da vigilância.

Não é um caso isolado. Aqui cada inconformado tem sua própria sombra ou grupo delas que o persegue. Ademais, os chamados “segurosos” usam técnicas sofisticadas de supervisão que vão desde intervir na linha telefônica, colocar microfones nas casas ou rastrear a localização do objetivo através do sinal do seu próprio telefone celular. Os efeitos são tão devastadores na vida pessoal e social de quem sofre uma dessas operações que chamamos a Segurança do Estado com nomes terríveis como: “o Aparato”, “o Armagedón ou “a Trituradora”.

Porém nem sequer estes militares vestidos de civil podem escapar do escárnio popular. Há várias piadas acerca da desmesurada proporção de “segurosos” que rondam ao redor de cada opositor. Num tom baixo e olhando por sobre o ombro, muitos apontam com ironia: “Com tantos braços que fazem falta na agricultura e, olha estes aqui, vigiando o dia todo o que pensa diferente”. Pois bem, que diferença se observaria se, ao invés de penalizarem a opinião, se dedicassem a trabalhos produtivos; se ao invés de projetarem sua sombra longa sobre os críticos do sistema, a deixassem cair sobra uma mudinha de alface ou de tomate, sobre esse sulco – hoje vazio – que eles poderiam a ajudar a semear.

Traduzido por Humberto Sisley de Souza Neto

Anúncios

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s