Identificados e exibicionistas

Contra a corrente do escondimento e da simulação, alguns blogueiros alternativos temos posto nosso documento de indentidade junto aos textos que escrevemos. Em meio de tanta máscara auto imposta, mostrar a tarjeta de indentificaço me recorda o exibicionista que abre sua capa, ainda que todos saibam o que leva dentro.

Minha impressão digital, meus dois sobrenomes e até o nome dos meus pais aparecem no cartão azulado que dá fé da minha existência. Para evitar que os policiais se desgastem dizendo-me “identifique-se cidadã”, dou adiantadamente os sinais da minha vida. O fez tambem Claudia em seu eclético blog Octavo Cerco, Lía em suas erupções de Habanemia e alguns outros que revelam seus dados para espantar o medo.

Quem sabe conseguiremos contagiar os trolls (internautas idiotas) que, amparados no anonimato, tentam colapsar nossos sítios com insultos. É pouco provável, sem embargo, que a febre de identificar-se chegue até os que tem como trabalho não dar a cara. A esses “rapazes anônimos” quero mostrar que abrindo minha capa sou mais que o 75090424130, um documento envolto em plástico e um polegar manchado de tinta que se põe no papel.

Anúncios