Esperar


Saio da gripe sussurrando um tema do cantor de Havana Erick Sánchez, que me dedicou em seu ultimo concerto e que hoje quero compartir com voces. Uma canção referente aqueles que só sabem esperar – com os braços cruzado – que outros façam algo. A canção já tem um tempinho, porem Erick lhe juntou uma improvisação final que a aproxima destes tempos de supostas reformas e expectativas.

Com este video, filmado por mim no pequeno teatro do Museu de Belas Artes, quero pôr algo de multimidia pela primeira vez neste Blog. Somente tivemos que “esperar” dezessete meses para afixar algo de musica, assim então não foi tanto.

Este sabado fui outra vez à Pinar del Rio e no próximo post afixarei algumas imagens e anedotas que vi por lá. Enquanto isso os deixo ao ritmo da improvisação de Erick Sánchez:

Esperar, esperar, esperar
A sin permiso viajar afuera
Esperar, esperar, esperar
Que pongan una sola moneda
Esperar, esperar, esperar
Y que lo hagan sin que te duela
Esperar, esperar, esperar
Y sin tanta preguntadera

Esperar, esperar, esperar
A não permissão viajar afora
Esperar, esperar, esperar
Que ponham uma só moeda
Esperar, esperar, esperar
Que o façam sem que te doa
Esperar, esperar, esperar
E sem tanta “perguntação”

Dedico esta canção a Adolfo Fernández Saínz que terminou sua greve de fome na semana passada, no cárcere de Canaleta. Com sua determinação e o apoio de muitos que aderiram ao seu protesto, conseguiu que os carcereiros devolvessem os livros retidos.

Adolfo, irmão, esta canção é para voce e oxalá não tenhas que esperar muito mais.

Anúncios