Um amanhecer em La Havana desde minha varanda

No meu livro de Geografia do sexto grau aparecia uma foto sobre a contaminação ambiental nos países capitalistas. Não recordo se era uma vista de Londres ou de Berlim, só sei que esta imagem é parecida.

Anúncios

Cartazes sim, porém só sobre bola

Por estes dias o país vive uma febre baseball a partir das dos últimos jogos correspondentes ao “Play Off” da série nacional. Os industriários vestem azul, enquanto que o vermelho é a cor de quem vai à Santiago de Cuba. Em numerosas varandas, portas e muros leem-se cartazes como “Industriários Campeões” ou “Santiago é mais Santiago”. Os militantes do Partido foram orientados que durante os jogos no grande estádio Latinoamericano devem evitar que se grite depreciativamente a palavra “palestinos” para referirem-se aos jogadores da equipe oriental. Enquanto que a exibição policial dentro e ao redor do próprio estádio só é comparavel com o ocorrido durante a Cúpula de Países não alinhados em setembro último.

Até eu, que não participo da paixão baseball, vejo as partidas transmitidas pela TV e pulo quando ganham os leões industriários. Sem embargo, não deixo de notar que durante estes dias a bola nos submerge em um estupor irreal e que até a aparição dos tolerados cartazes é um parentesis, uma permissão temporal, de que não podemos fazer uso para outros temas. Posso imaginar o que acontecerá se uma vez concluída a final penduro em minha varanda um mínimo papel que diga: “Sim ao etanol” ou “Internet para todos”.

Tradução e administração do blog em língua portuguesa por Humberto Sisley de Souza Neto