A arte de dizer sem dizer

proyectos_de_lineamientos

Quando se cresce decifrando cada linha que aparece nos jornais, consegue-se encontrar em meio a retórica o grão de informação que a motiva e a marca de novidade que esta oculta. Daí que os cubanos sejamos detetives do não expressado, peritos em descartar o palavrório e localizar – bem fundo – as razões reais que o movem. O Projeto de delineamentos para o VI Congresso do Partido Comunista é um bom exercício para afinar nossos sentidos, um exemplo paradigmático para avaliar a prática de dizer sem dizer, constituído aqui num discurso de estado.

Em suas mais de trinta páginas o texto só contém propostas do tipo econômico, mais adequadas para um ministério de finanças do que como a bússola de um partido político. É certo que carece dessa linguagem de barricada que tudo resolve a base de palavras de ordem, contudo peca por ser a lista edulcorada do que poderia ser levado a cabo se o sistema funcionasse realmente. Para os que crêem que exagero meu ceticismo, dêem uma olhada nos pontos do congresso passado e comprovem quantos deles realmente se materializaram.

Separando a porcaria, é positivo que se vá tirar o peso do setor orçado, essa sanguessuga colossal que se alimenta de mim, de ti e de todos nós. Ampliar o cenário para o trabalho por conta própria também é reconfortante, porém sempre que pergunto a alguém se tirará uma licença, responde-me que não pensa em “morder a isca” de começar a ser tributado. A desconfiança é difícil de vencer e se um governo afunda uma economia nacional com seu voluntarismo e seus programas irreais, tem pouca credibilidade ao anunciar que quer salvá-la. Decepciona que nem uma linha se refira à ampliação dos direitos civis, entre os quais se inclui a erradicação das limitações migratórias que nós cubanos sofremos para entrar e sair do nosso próprio país. Tampouco há uma palavra sobre a liberdade de associação ou de expressão, sem as quais as autoridades continuarão se comportando mais como capatazes de uma fábrica do que como representantes do seu povo.

O PCC se reunirá em abril, aprovar-se-ão características muito parecidas aos deste folheto e, dentro de um ano ou dois, estaremos nos perguntando o que aconteceu com tanta tinta sobre o papel. O que houve com aquele programa onde se dizia aperfeiçoar e melhorar ao invés de mudar ou terminar?

Traduzido por Humberto Sisley de Souza Neto

About these ads

Deixar uma resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s