O candidato da mudança

foto-jugar1

Silvio foi levado até sua casa entre gritos de júbilo depois da reunião para designar o delegado de sua circunscrição. Só obteve 15 votos de um total de 120, porém sua vitória foi a da formiga que consegue cavar no muro, o triunfo do piu piu que se faz escutar em meio a algazarra. Todavia haviam se mobilizado até o município de Punta Brava pessoas que não estavam no registro de eleitores, o candidato oficialista só pode saborear 45 mãos levantadas em seu favor. A abstenção foi o modo pelo qual 50% dos congregados manifestaram sua inconformidade – ou sua indiferença – ante um processo deliberativo com pouquíssima influência na vida real.

Recordo quando Silvio Benítez falou pela primeira vez em apresentar-se nas eleições do poder popular de sua circunscrição. Nem seus amigos mais próximos alimentamos a esperança de que fosse designado ou ao menos conseguisse que alguém – alheio a sua família – o propusesse públicamente. A frustração a priori, a relutância por antecipação, introduziram-se demasiadamente em nossas vidas. Daí que nos sintamos derrotados antes de sequer projetar uma fórmula com que transformar o país. A balsa sulcando o mar ou o silêncio cúmplice seguem sendo as estratégias mais usadas para solucionar os problemas pessoais de cada um, visto que “o problema” nacional parece perpétuo.

Contudo em Punta Brava naquela noite, a telenovela não foi mais atraente que a maquinária desgastada de optar pelo “o melhor e o mais capaz”. A curiosidade fez com que as ruas e as calçadas se enchessem para saber se “o candidato da mudança” conseguira a vitória. Silvio lhes havia prometido um programa diferente, não marcado pela ideologia senão pela gestão cidadã. Contudo se não conseguiu registrar seu nome na lista de mais de 15 mil delegados de todo o país, ao menos conferiu a abstenção da metade dos eleitores da sua zona. Sem atrever-se a optar por ele, muitos dos seus vizinhos apertaram os dedos dentro dos seus bolsos, acariciaram a cabeça dos seus filhos ou sustentaram o cigarro nos lábios quando foram exigidos a votar com a mão levantada. Seu triunfo proveio do conjunto de braços caídos, de todas aquelas bocas que não se aventuraram a mencionar seu nome, porém tampouco o negaram.

Traduzido por Humberto Sisley de Souza Neto

About these ads

Deixar uma resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s